quarta-feira, 27 de setembro de 2017

TOP Horribilis



Eu, ingénuo me confesso! Depois de ter crescido no Vietnam Benfiquista achei que certas coisas não aconteciam mais. Pois bem, a noite de ontem vai para o top 5 de humilhações ao vivo que vivi enquanto Benfiquista. O Glorioso Sport Lisboa e Benfica, tetracampeão nacional, foi derrotado por 5-0 pelo quarto classificado do poderosíssimo campeonato suíço. Ainda muitos dos nossos continuavam a entrar num estádio com condições mas numa cidade toda em obras e já os suiços estavam a ganhar.

A aventura começou no dia de sorteio: o facto de trabalhar agora na região Parisiense permitiu-me não perder um único dia de trabalho. Na tarde do jogo seguia de TGV para Basel, e regressava na manhã seguinte (TGV no qual me encontro a escrever este texto).

A chegada a Basel, após uma viagem tranquila, deu-se a 3 horas do jogo. Dirigi-me rapidamente até ao hotel para deixar as coisas, indo de seguida ter com os meus. Via-se Benfica por todo o lado, os dados que indicavam à volta de 10 000 Benfiquistas no estádio não eram infundados. Após algum tempo no centro, apanhar o Tram até ao estádio onde mais uma vez a mancha vermelha era enorme. Indescritível! Entrei no estádio já em pleno período de aquecimento e já o setor visitante estava quase repleto com muitos mais Benfiquistas em todo o estádio, por todo o lado exceto no topo contrário.
O mar de gente vermelho continuava a entrar, inclusive durante o hino da Champions. Começa o jogo, golo do Basel, continua malta do Benfica a entrar. O apoio vai crescendo. Ainda na primeira parte, 2-0 para o Basel. O apoio não quebra. Vem o intervalo, acredita-se na remontada apesar de se jogar ZERO. Apesar de não termos rematado uma única vez à baliza. Apesar de só termos tido uma única oportunidade de golo em que em vez de rematar deixámos cortar para canto e no contra ataque sofremos o segundo golo. Mas era possível remontar. Nós somos o Benfica, o clube das missões impossíveis (entre as quais tentar ser penta com um desinvestimento nunca visto).

Começa a segunda parte, 3-0. 4-0. 5-0.  Pelo meio 3 bolas bateram no poste. Grande parte do setor visitante está revoltado e abandona o estádio. Os do costume lá ficam. Por os do costume refiro-me àqueles a quem o plantel, por indicação de Luisão, virou as costas no Bessa. Esses mesmos! Os que lá estavam ontem, estavam no Bessa, estavam quando nada ganhámos entre 2005 e 2010, estavam quando ficámos em quarto lugar, ou quando ficámos em sexto. Esses mesmos, os que nunca te abandonam, nunca te viram costas. Foi até ao fim, num apoio sublime ao emblema.

Até que chegou o fim do sofrimento. O fim dos 90 minutos. A equipa junta-se e dirige-se ao setor visitante sem nada manifestar. Visto donde estava, mais parecia algo feito do que algo de coração. E só assim se explica o capitão de equipa não se chegar à frente e pedir desculpa. Por mim tinham era tirado todos a camisola. E a visão de “algo feito” ficou confirmada quando a equipa volta para o balneário e um elemento do plantel, perante o protesto daqueles que nunca abandonam o emblema que vestem ao peito se vira para trás e diz: “APOIEM!!! APOIEM!!!”.

O Benfica merece o nosso apoio. Sempre. Vocês, e por vocês refiro-me a todo o grupo de trabalho, merecem que vos exijamos que honrem a camisola. O emblema que trazem ao peito é intemporal e tem a definição de lenda. Só têm que fazer por merecê-lo. Não admito nada que não seja uma vitória na Madeira e o Penta. Sim, nada menos que o PENTA será admitido.

Façam por isso. Façam-se homens. Façam os cortes que tiverem de fazer. Encostem quem tiverem de encostar e mantenham-se vivos até Janeiro para fazer o que deviam ter feito no verão.


ACORDEM!

Sem comentários:

Enviar um comentário